Região

Jumenta ferida e sem andar é salva e ganha nova história em Água Doce

Uma jumenta que vivia em situações precárias foi resgatada em uma propriedade no perímetro urbano do município de Água Doce, no Meio-Oeste de Santa Catarina. Batizada como “Boneca”, a jumenta foi encontrada debilitada e sem conseguir se levantar. O resgate ocorreu na última semana.

Silvia Mendes, uma voluntária simpatizante da causa animal, foi até o local após saber que a jumenta estava em uma situação delicada de saúde. Ela encontrou o animal passando por muito sofrimento.

“A jumenta estava caída, toda molhada, sem poder se levantar por conta de uma pata machucada e tremia muito. O local era extremamente precário. Ao que se sabe, ela já estava naquela situação há pelo menos dois dias”, comentou a voluntária Daiandra Fernandes, que também passou a acompanhar o caso.

A PM (Polícia Militar) chegou a ser acionada por meio de denúncias sobre possíveis maus-tratos. A Vigilância Sanitária, Cidasc (Chapecó Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina) também foram contatadas porque havia suspeita de que o animal estivesse com raiva, mas a doença foi descartada.

Porém, foram os voluntários da causa animal que se uniram em uma força tarefa para resgatar a jumenta. Segundo Daiandra, como o proprietário não tinha condições financeiras de arcar com tratamento veterinário particular e não havia profissional custeado pelo poder público disponível, apesar das denúncias, o animal permanecia em sofrimento.

Diante da situação crítica que a jumenta se encontrava, uma força-tarefa de voluntários foi feita para que ela fosse atendida e tivesse seu sofrimento reduzido. O proprietário da jumenta conseguiu uma talha de cordas emprestada e a “Boneca” foi levantada. Seu corpo, de tanto se debater, ficou com muitas escoriações.

“Ela se alimentou, bebeu água, mas o local ainda era muito inadequado, já que chovia bastante e o espaço não tinha cobertura e nem piso. O chão estava totalmente encharcado e com muito barro”, lembra a voluntária.

Atendimento veterinário

Após a mobilização, um veterinário de Treze Tílias, município distante cerca de 20 km de Água Doce, se prontificou a atender “Boneca” e foi até o local. A jumenta passou por atendimento especializado com a administração de soro e medicamentos.

Além da pata machucada e das escoriações, uma das suspeitas é que ela estivesse com pneumonia. “Em conversa com o proprietário chegou-se a conclusão que o melhor era tirar a jumenta dali, pois suas chances de recuperação naquele local eram muito pequenas. Ele, por isso, doou o animal a um voluntário que se prontificou a levá-la para sua propriedade”, explica Daiandra.

“Boneca” foi removida por uma carretinha puxada por um trator e foi levada para sua nova morada para iniciar uma nova história. A voluntária conta que ela já apresenta melhoras, alimenta-se bem, segue sendo acompanhada pelo veterinário e tomando medicação diária.

“No entanto, por conta de sua pata machucada, ainda não consegue se levantar ou caminhar. Por orientação veterinária, ela é erguida com a ajuda de uma talha e fica em pé por alguns momentos do dia. A esperança é que com a ajuda da medicação ela, em breve, consiga apoiar sua pata no chão e volte a andar”, acrescenta.

A voluntária ressalta que na cidade de Água Doce não há uma ONG (Organização Não Governamental) que resgate animais ativa no momento. A ação foi feita por particulares que se sensibilizaram com a situação da jumenta e os custos do tratamento veterinário foram pagos com a ajuda de doações de pessoas que também se comoveram com a situação.

Fonte: ND+ | Fotos: Cidasc

Leia também: >> Cemitério em Blumenau instala QR Code nas lápides para memorial virtual do falecido

jumenta   |  maus tratos  |  atendimento veterinário
Voltar

Acompanhe nas redes