Política

O discurso de Jair Bolsonaro em Chapecó

Foto: Reprodução

Durante a passagem por Chapecó, o presidente da república Jair Bolsonaro destacou que o município deve ser olhado pelas demais cidades do Brasil. Também que deve se estudar Chapecó, para ver as medidas de enfrentamento ao coronavírus tomadas pelo prefeito João Rodrigues. A fala foi feita durante a visita do presidente, em evento no Centro de Cultura e Eventos, na manhã desta quarta-feira (7).

“Eu quero que Chapecó, seja uma cidade a ser olhada pelos demais 5.700 prefeitos do Brasil, se bem que têm prefeitos que estão na linha do João Rodrigues. Mas quando se falam em vidas, para nós qualquer esforço é válido. Temos que estudar Chapecó, ver as medidas tomadas pelo prefeito”, disse.

Ainda durante a fala, Bolsonaro afirmou que o Brasil não terá lockdown nacional. “Como alguns, ousam dizer por aí, que as nossas forças armadas deveriam auxiliar alguns governadores nas suas medidas restritiva. O nosso exército brasileiro não vai à rua para manter o povo dentro de casa. Liberdade não tem preço. Devemos fazer tudo o possível para buscar soluções. Temos, agora, um ministro médico, tínhamos o outro militar, que fez também um excelente trabalho no Ministério da Saúde”, discursou.

O presidente disse que o governo conseguiu formar um ministério técnico. “Compare os nossos ministros com os anteriores (de outros governos). Com todos os problemas que o Brasil vem atravessando, nós conseguimos fazer muita coisa, com menos dinheiro, com orçamento achatado, com teto para gastos”, falou.

Bolsonaro conversa com a imprensa

Ao fim da visita pelo Centro de Eventos, em Chapecó, Jair Bolsonaro falou com a imprensa. Sem responder perguntas específicas, o presidente disse que conversou reservadamente com o prefeito de Chapecó, João Rodrigues, e destacou que veio à Chapecó para mostrar ao Brasil a situação do município.

“Ele tá buscando alternativas, tá dando liberdade pros médicos. Chapecó passou por uma crise séria há poucas semanas, pelo que tudo indica está em uma normalidade, entre aspas né. A gente pede a Deus que essa pandemia logo nos deixe”, disse o presidente.

Na fala, Bolsonaro descartou um lockdown nacional. Ele também falou que acredita na liberdade dos médicos na tomada de decisões de tratamento dos pacientes acometidos pela Covid-19. O presidente mencionou, ainda, que está preocupado com a pandemia da Covid-19, e que neste momento, não pensa no cenário para 2022.

Fonte: ClicRDC

Leia também: >> Bolsonaro chega a Chapecó e visita estrutura do Centro de Eventos

imprensa  |  chapecó  |  brasil  |  governo  |  bolsonaro
Voltar

Acompanhe nas redes