Geral

Cemitério em Blumenau instala QR Code nas lápides para memorial virtual do falecido

Um cemitério lançou nesta terça-feira (23) uma ferramenta tecnológica que traz um memorial virtual com a história das pessoas em Blumenau, no Vale do Itajaí. Segundo a administração, o QR Code colocado nas lápides servirá ainda para facilitar a localização dos visitantes.

De acordo com a administração do cemitério, é possível deixar uma mensagem em áudio ou vídeo para os parentes e amigos dos falecidos enterrados no cemitério. O QR Code que terá um link para direcionar até uma página em que também irá constar a história do falecido.

A adesão ao serviço será opcional e ainda não há um levantamento de quantas famílias já instalaram a ferramenta nas lápides. 

"Esse projeto tem por objetivo tornar as visitas ao nosso Campo Santo ainda mais atrativas. Além de ser uma ferramenta que permite uma homenagem ainda mais especial à cada falecido sepultado aqui", explica o diretor-presidente do cemitério, Alcione Alvim Da Silva.

Para realizar o serviço, a família deverá pagar a lápide que será confeccionada com o código.

Mensagem póstuma

De acordo com a administração, há uma procura crescente de pessoas para deixar um registro para os familiares antes de morrer. A mensagem será disponibilizada pelo QR Code instalado na lápide.

"Se antes de falecer, você quiser deixar um vídeo para ser assistido após a sua partida, isso será possível", disse Schneider.

Lançamento da ferramenta no dia de uma tragédia

Segundo a administração do cemitério, a data do lançamento da ferramenta foi pensado para homenagear os mortos na tragédia das enchentes de 2008.

Naquele ano, 214 famílias tiveram seus túmulos atingidos por um deslizamento no local e os falecidos tiveram que ser transferidos para outros jazigos. O processo foi finalizado em 2016.

Fonte | Fotos: Cemitério São José/ Reprodução

Leia também: >> Líder de quadrilha preso em SC por exportar cocaína queria fazer plástica para fugir

cemitério  |  qr code  |  sc  |  tecnologia
Voltar

Acompanhe nas redes